terça-feira, 6 de abril de 2010

Impressões sobre o I Encontro de Coletivos AC-RO

Por Thalyta França


Depois de mais de 12h de viagem estressante, chegamos em Porto-Velho por volta de 20h da noite, atrasados na capital, devido o conhecido ‘’pinga-pinga’’ e desta vez ainda mais intenso por conta do feriado. Resultado do atraso: perdemos o 1º dia do encontro que aconteceria às 14h. Mas isso não foi o suficiente para tirar de todos nós, participantes do encontro, as boas expectativas.
Na saída: Rodoviária de Rio Branco. Catraia e Black Drawing Chalks
À espera da balsa do rio Madeira

Ao desembarcarmos na Rodoviária de Porto-Velho junto com aos Black Drawing Chalks, companheiros de viagem, estavam lá Gracildo Júnior (Coletivo Caos) à nossa espera e Vínicius Lemos, produtor do Festival Casarão, para dar as boa vindas à banda “BDC”.

Bagagens descarregadas, malas no carro e de lá partimos pra encontrar os demais integrantes do C.A.O.S e participantes do encontro num restaurante localizado no centro na cidade chamado "Nostalgia". Foi lá que nós todos jantamos enquanto matávamos as saudades dos já conhecidos e nos apresentávamos para os que ainda não conhecíamos. O jantarzinho tinha gosto de comida de vovó, acho que esse fato deu o nome do local: comida caseira tipicamente brasileira. Bom demais. Quando chegamos os pratos já estavam todos postos à mesa, quentinhos, à nossa espera. Tivemos uma ótima recepção.

No restaurante ‘Nostalgia’ após desembarque em Porto-Velho

Nos acomodamos e depois de algumas horas seguimos para o "Piratas Pub", local onde aconteceu o show da "Black Drawing". Eles tocaram após a apresentação de duas bandas locais a Ultimato e a Expresso Imperial (banda instrumental) . Chegando no local, catamos uma mesa ao lado do palco, colocamos à mostra os produtos da banquinha do Catraia e ajudamos os meninos da BDC a vender seus CDS e camisetas. A noite foi ótima, os shows foram massa e o público porto-velhense foi muito receptivo.

BDC quebrando tudo no Piratas Pub, em Porto Velho

Banquinha do Catraia marcando presença


No dia 03 às 15h demos início ao encontro, que aconteceu numa sala de reuniões do Teatro Municipal Banzeiros. Estavam presentes os coletivos: Catraia (AC), C.A.O.S (Porto-velho), Vilhena Rock (Vilhena-RO) e Interior Alternativo - (Ji-paraná-RO) além de termos como convidados: Vínicius Lemos, produtor do Festival Casarão (RO) e Denis, baixista da banda Nitro e produtor do ex-Festival Madeira, ambos simpatizantes do projeto e parceiros do Coletivo C.A.O.S.

Tivemos como principal pauta a Construção de uma agenda de atividades conjunta e Implantação das “Noites Fora do eixo”, visando a integração contínua de atividades, concretizando o intercâmbio de bandas e, assim, construindo um micro-circuito entre Rio branco e Rondônia incluindo os municípios ali representados pelos coletivos Vilhena Rock e "IA".


A idéia é que nas "Noites fora do eixo" quando fechados os intercâmbios, os demais coletivos do interior possam remanejar bandas, aproveitando a proximidade das cidades. Esses intercâmbios poderão acontecer com as seguintes possibilidades:

Rio branco/Porto Velho
NFE Agosto: Dia 21/08 com a banda Mogno( Rio branco - RO)
NFE Setembro: Aproveitando uma banda do Festival Varadouro ( Rio branco- Porto –Velho(RO)
NFE Novembro: Dia 20/11 com possibilidade de indicação de banda de Rio Branco.

Rondônia/Rio branco
NFE Agosto: Data sugerida: dia 20. Bandas indicadas pelo C.A.OS: Versalle, Suco di Nóis ou Ultimato.
Prévias Varadouro Agosto/Setembro: Indicação de uma banda de Rondônia (RO – Rio branco)
Fora do eixo ao Extremo Novembro: Data à definir. Banda indicada pelo CAOS: NEC de estilo Metalcore.

As demais pautas permearam sobre a inserção de mais municípios rondonienses no micro-circuito. Dentre eles foram citados: Cacoal, Ariquemes, Rolim de Moura e Ouro preto. Todas apresentam focos de produção semelhantes e podem ser futuros parceiros, ajudando a ampliar ainda mais a rota das bandas, viabilizando algumas mini-turnês.

Saímos do encontro com alguns indicativos importantes que nos darão norte e que fermentarão o diálogo no decorrer deste ano. Já temos em vista um próximo encontro, desta vez pretendendo contemplar toda a Região Norte com seus respectivos coletivos: Palafita(AP), Canoa Cultural(RR), Coletivo difusão(AM) e Megafônica(PA).


O saldo do encontro foi super positivo, sentimos muita firmeza em nossos parceiros rondonienses, saímos com a sensação de dever cumprido e com planos traçados e acertados em parceria o que torna nosso trabalho ainda mais prazeroso. Daqui pra frente temos muito trabalho e bons frutos para colher! Valeu Rondônia!

Um comentário:

S.I.m disse...

bem legal hein